f

  • Cartas: As cartas de cobrança são muito praticadas pelas instituições. Tem um custo relativamente baixo e normalmente são atreladas, como dissemos anteriormente, a sistemas que geram uma qualidade visual muito boa;
  • Cartas com Aviso de Recebimento – AR: A vantagem da carta AR é que se sabe quando foi entregue, para quem, e se não foi, por qual motivo. É imprescindível para avisar o devedor de que haverá a inclusão do seu nome em SPC, Serasa. Com isso, a instituição está fiel ao Código de Defesa do Consumidor que deixa explícito a necessidade da comprovação de que o inadimplente foi notificado previamente;
  • Carta SEED – Serviço Especial de Envio de Documentos – Correios: É semelhante à carta com AR. A grande diferença é que a responsabilidade pela produção do protocolo é da própria instituição e não dos Correios. Quanto ao custo é muito inferior, cerca de 20 a 25% do que custa a carta com AR. Tem o mesmo valor legal e obedece a algumas regras dos Correios como quantidade mínima, necessidade de contrato e limites de abrangência;
  • Telefonemas de Cobrança: É uma das formas de pressão muito usadas pelas instituições. Mais adiante falaremos sobre os cuidados prévios antes de um telefonema de cobrança, aspectos atitudinais que conduzem a bons resultados, armadilhas e finalização. Vale ressaltar que o telefone tem algumas limitações como recurso de pressão: não produz a comprovação da notificação que é exigida pela legislação para a inclusão em, órgãos de proteção ao crédito; se a pessoa faz a ligação para um telefone comercial, provoca normalmente a ira do devedor que faz ameaças sob constrangimento ilegal; exige do representante da instituição muito controle do que diz, da forma como diz e sempre deve se preocupar como o devedor vai (ou quer) interpretar sob o risco de causar danos a imagem da instituição;
  • Cobrança por E-mail: Muito utilizada por ser uma maneira rápida e sem custo para a instituição. Obviamente devem ser tomadas precauções com relação a enviar para o e-mail pessoal e não ao profissional a não ser que sob autorização. Imagine o risco de que um terceiro tome conhecimento do assunto.
  • Torpedos: Algumas instituições estão fazendo acordos com as operadoras de telefonia local e comprando um número X de torpedos. Podem ser enviados aos clientes inclusive antes do vencimento com o objetivo de checar se a pessoa está de posse do boleto etc. É uma alternativa de baixo custo e que deve ser parte de uma estratégia maior.

Fonte: Redução da Inadimplência no Setor da Educação/RCS Editora/Dorival dos Santos Machado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *